quarta-feira, 15 de junho de 2011

UM RICHARD GERE (quase) GAÚCHO!




Depois de mais de um mês afastado do blog, principalmente por absoluta falta de "inspiração literária", retorno saudoso dos meus dois ou três leitores que têm a paciência e boa vontade de me acompanharem.


Na verdade, a expressão certa não é falta de inspiração, e sim falta de talento mesmo...! Deixando de lado essa síndrome de humildade, digna do meu xará São Francisco de Assis, vamos ao post de hoje, sem deixar de agradecer à Maria de Fátima pela "inspiração alcançada".


Maria de Fátima, ou Fá para os íntimos, é funcionária de uma montadora de veículos localizada aqui no Rio Grande do Sul. Tudo bem... não queria fazer propaganda, mas a tal montadora é a GM, apesar que tal explicação é desnecessária, pois só temos mesmo uma fábrica de veículos aqui no Estado, graças ao PT que mandou a Ford embora. Mas isso é outra história!


Voltando à Maria de Fátima, duvido que exista alguém que seja mais apaixonada por Richard Gere do que ela. A criatura possui um acervo de fotos do cara, que nem ele imagina. Junto ao seu computador no trabalho, tem um porta retrato com Mr. Gere sorrindo para ela, sem contar que a tela de fundo do seu monitor, tem uma foto-montagem com os dois se beijando...! Nunca vi amor igual.


Outro dia, estávamos na lanchonete da GM tomando um cafézinho, e surgiu (como sempre) o assunto Richard Gere. Ela contava que assistiu todos os filmes dele, e que também tornou-se budista como forma de ficar mais perto do amado.


Durante o papo (chato pra caramba), ela comentou sobre um sonho que teve, onde ela passeava de mãos dadas com Rick (como ela o chama) no Parque da Redenção aqui em Porto Alegre. Neste momento, não aguentei e perguntei se ela sabia que o amor de sua vida já esteve na Capital gaúcha. Ela sorriu duvidando, achando que era uma brincadeira que eu fazia.


Assumi um ar sério (para dar mais credibilidade) e contei que na década de 80 ele teve uma namorada gaúcha de Bagé, chamada Sylvia Martins, e por conta desse namoro o casal passeou de mãos dadas no Parque, tal e qual o sonho dela. Para ser mais cruel, contei-lhe que ambos assistiram filmes no finado Cine Bristol (defronte ao parque), e andavam pelas ruas do bairro BomFim sem que ele fosse reconhecido.


Existe também um relato do jornalista Luiz Carlos Merten, do Estadão, em que ele conta que certo dia, quando trabalhava aqui no Diário do Sul, avistou alguém sentado num banco de praça que "era a cara do Richard Gere". Quando chegou à redação, comentou com um colega sobre o que vira, e foi informado que o cara do banco da praça, era o dito cujo.


Naquele dia, o chefe de redação havia cobrado alguma reportagem ou entrevista, e Merten afirma que até hoje não se perdoa pela oportunidade perdida.


A essa altura, Maria de Fátima com ar incrédulo, e olhar esbugalhado só queria saber de duas coisas: 1) Se Rick ainda tinha alguma coisa com aquela "perua horrorosa". E 2) Se eu achava que ele poderia voltar aos pampas algum dia.


Despi-me do ar sério, e vestindo uma cara paternal disse-lhe que na vida tudo é possível, e que ela não descartasse a possibilidade de um dia ambos encontrarem-se no Templo Budista da cidade de Três Coroas-RS.


Ela acreditou, mesmo sabendo que na melhor das hipóteses haveriam Dois Coroas (ele e ela), separados pela América Central.


Ontem, ao passar pela mesa da Fá, pude observar a foto de Rick e Sylvia rasgada ao meio, e na metade onde aparecia sua rival, tinham vários alfinetes cravados na pobre bageense!


Mulher enciumada, é fueda...!

11 comentários:

Déia disse...

kkkkkkkk

Como vc se sente agora Dindo por despertar tais sentimentos num pobre coração apaixonado?! rsrsrs
Fa, o Ri um dia será seu! Yes, you can! kkk
bj

b disse...

ah...
De repente a Fá necessita dessa fantasia.
Deixa ela....

Penso logo existo disse...

Olá Francisco

Passei para lhe deixar um abraço, temos andado arredados... parabens pela criatividade habitual

Grande abraço
Gallobar

Namorada Girassol disse...

Owwwwww My Dear ,


Que maldade fazer isso com a Fá...
Né; Ela podia muito bem continuar vivendo sem tais informações,rss
Vai que....

Bjossssss sdds

Fê Mello disse...

ahahaha, como você é cruel!

beijos,

Vicky Thompson disse...

Vou chegar aos 100 anos repetindo a mesma coisa: Vc e seus textos são geniais.

Bjokas!

Vicky e Beto.

Bandys disse...

Mas voce complica até a vida da guria!!!

Fá esquenta não, eu tenho o cel dele.
kkkk

Beijos

Ninha disse...

do alto dos meus quase 30 anos eu digo: deixa a Fá sonhar. POrque a realidade nunca é tão boa quanto o sonho.
viver dói.

beijos

Andréia disse...

Tadinha da Fá ..
Quanta maldade neste seu pobre e lindo coração kkkkkk

bjs em voce e na Fá

Márcio Fernando de Castro Brum disse...

Richard Gere andava tranquilamente pelas ruas de Bagé. Sua namorada era filha de um fazendeiro e de vez em quando eles vinham juntos para a cidade. Muita gente pensava: "Poxa, aquele cara é igual o Richard Gere!"... E ERA MESMO!!!

Catiane Ebeling disse...

Olá meu tio avistou o mesmo semana passada andando de trensurb indo para Porto Alegre, estava de pé perto da porta e chamou a atenção do meu tio pelo traje que vestia com roupas impecaveis e de marca. E do seu lado estava sua acompanhante de viagem aqui no sul, que informou ao meu tio que o mesmo veio visitar o templo budista de fundou aqui! Legal né gente se eu estivesse lá pediria um autografo e se ele não desse eu faria igual a propaganda do café da Nestle rsrsrsrsrsrs